Valdeci Pereira dos Santos

Endereço:
Rua Vilsom Manoel Valerin, 450
Casa
Balneário Gaivota, Santa Catarina 89.950-000
Brasil
fone:
ver fone(48) 3583-1767
celular:
ver celular(48) 9915-7299
Entre em Contato

Descrição

Um homem pode nascer em qualquer parte do planeta. Dois Homens podem nascer no mesmo lugar, mas dificilmente irão trilhar o mesmo caminho. É como uma digital. Como um genoma. Não existem dois caminhos iguais.

Valdeci Pereira dos Santos, natural de Sombrio aspirou suas primeiras moléculas de oxigênio no dia 12 de outubro de 1945, data de seu surgimento para a vida; que marcou com muita felicidade e afeto as vidas do senhor João José dos Santos e a senhora Sergia Pereira dos Santos, pais deste que se tornaria um filho ilustre.

Seu caminho pelos degraus do conhecimento teve inicio junto à Escola Mista de Boa Esperança, de cuja primeira professora Teodorina Moraes Cardoso nunca mais se olvidou. Após uma seqüência normal de escalada concluiu o segundo grau na Escola Estadual Catulo da Paixão Cearense.

Foi aos nove anos de idade, porém que teve sua primeira experiência com o árduo trabalho da agricultura, que em geral – como na maioria esmagadora das famílias da região sul do estado – necessita da força de todos os seus filhos para sobreviver às duras lides da lavoura de fumo, uma das economias mais comuns naqueles tempos.

Quando pela primeira vez saiu de casa – isto nos idos anos de 1966 – resolveu fixar residência e destino na cidade de Cachoeirinha – cidade progressista circunscrita no chamado âmbito da chamada grande Porto Alegre (RS). Uma longa vida contada por 35 anos de profissão e realizações ideológicas. O êxodo rural e a busca de novos horizontes profissionais e pessoais foram suas motivações primárias.

Já no primeiro momento empregou-se na Fábrica de Radio e Televisores “Teleuniao”, e lá compreendeu os princípios de eletrônica. Na seqüência sente necessidade e faz o curso de eletrônica e eletricidade. Mais tarde, na busca de melhores oportunidades transferiu-se para uma empresa em outro seguimento, a Zivi Siderúrgica, lá servindo por cinco anos consecutivos. Nessa sua fase profissional também estudava eletrônica de noite.

A 27 de dezembro de 1967 contraiu matrimonio com a empresária a senhora Ceoni Carvalho dos Santos com quem dividiu harmonicamente a criação de seus três filhos. Adriano, Andréia e Alexandre. Um fato ocorrido quinze anos após o advento, marcaria o casal para sempre: foi o desaparecimento prematuro do filho Adriano que, por volta de seus quinze anos; motivado por choque elétrico, partira para o outro lado da vida e os deixara de forma inconsolável.

Retornando à sua vida profissional, houve um período muito duro de sua vida, quando se empregou junto a uma Empresa de Transportes Coletivos como cobrador de ônibus e precisou naquela época fazer um esforço ainda maior para juntar algumas economias. Levantava às cinco horas da manhã para dar conta de alguns bicos com consertos de aparelhos eletrônicos. No horário do almoço não era diferente, usava somente meia hora de seu tempo para a seguir voltar às suas ferramentas. Produzia seis vezes mais do que o normal e se esforçava ao Máximo para estudar eletrônica à noite, aonde ia tarde acostar-se; porque dava seqüência aos consertos que ficavam pendentes.

Uma excelente porta de oportunidades foi seu ingresso junto à IBRACO S/A, onde vendia produtos eletrônicos e instalava antenas no horário do almoço. Você se pergunta e daí o rapaz não pára? Será que agüenta?

Sim foi sua resposta o tempo todo. É possível, mas a maioria não crê.

Era procurado por todos os fabricantes de TV para fabricação de antena industrial. Naquela época, em 1975, montou sua primeira empresa no ramo de instalações de antena e nele permaneceu com muito sucesso por 25 anos aproximadamente. Um fato curioso ocorreu por volta de 1999, que o obrigou a fechar sua empresa: era o advento da TV a cabo que se impunha e o fez por esta razão voltar para Santa Catarina. Janeiro de 2001 recomeça sua vida em sua cidade natal.

Por vocação e talento inseriu-se no meio de comunicações e a 27 de abril fez seu primeiro programa de radio na Integração FM de Jacinto Machado. Uma primeira experiência recheada de coisas boas. Valdeci já havia se aposentado desde 1994. Em determinado momento chegou a comandar programas em duas rádios consecutivamente: Integração em Jacinto e Radio Mampituba FM em Sombrio.

Ainda hoje faz mais de cem horas de radio por mês. Um de seus programas vai ao ar de segunda a sexta das 20 às 24 horas e é muito freqüentado pelos ouvintes: chama-se CAMPEREANDO SAUDADES e aos domingos comanda outro campeão de audiências das 12 às 14 horas e 30 minutos e denomina-se de: CHURRASQUEANDO COM A MÚSICA NATIVA.

Sua vida política tivera início desde os tempos de Cachoeirinha, trabalhando pelo bem estar social. De 1983 a 1985 foi Funcionário Público Estadual, na qualidade de diretor do Centro Social Urbano de Cachoeirinha – departamento diretamente ligado à Secretaria Extraordinária para Assuntos da Grande Porto Alegre. Coordenando os famosos mutirões na cidade, tendo o apoio imprescindível de pessoas desempregadas, conseguiu distribuir através do estado mais de 800 toneladas de alimento.

Em 15 de novembro de 1988 foi o vereador mais votado do município e se elegeu presidente da Câmara Municipal. Foi presidente desde primeiro de janeiro de 1989 até o final do ano e posteriormente continuou seu mandato até 1992.

A par de tantos afazeres ainda dirigiu com muita competência o Centro das Indústrias durante dez anos; foi Presidente do Lyons Clube por três mandatos e ainda Presidente da divisão durante três vezes da grande Porto Alegre. Teve a hora de ser fundador do CTG Rancho da Saudade da cidade e participou decisivamente da emancipação de Cachoeirinha no ano de 1966.

Durante esse período tão fértil de sua vida teve contato com figuras políticas da maior expressão e era conhecido como homem público que trabalha com lealdade e defende que jamais se mexa no erário público. Por ser um nome acima de qualquer suspeita teve convites para participar junto a atual Administração Pública da cidade de Balneário Gaivota, como Chefe de Gabinete no Governo do prefeito João Bonamigo.

Por questões de confiança e bom relacionamento com a comunidade veio assumir a direção do SAMAE - antigamente CASAN - que através de processo administrativo surge como uma nova autarquia. A 27 de julho de 2010 assumiu o SAMAE.

Nosso competente Diretor agradece sobremaneira ao prefeito pela oportunidade de poder melhorar um setor sensivelmente falido, transformando-o em uma fonte real de receita. Dentro dessa situação promoveu-se uma verdadeira mudança no sistema de tratamento de água, notadamente na maneira de administrar a coisa pública.

Para limpeza e purificação da lagoa de decantação, retirou-se cerca de 300 caçambas de lodo que permaneçiam sobre o leito da fonte de água. Outro grande salto de qualidade se deu com a aquisição de equipamento laboratorial para melhor monitoramento tendo como principal resultado a melhoria sensível da qualidade da água ofertada a comunidade.

Hoje o cadastro de contribuintes deu um salto e mais de 2700 economias são servidas com água 100% tratada; além disso, promoveu-se a ampliação da lagoa de decantação para estender ainda mais sua capacidade.

Nos períodos de veraneio a ETA – Estação de Tratamento de Águas - trabalha com capacidade total durante 24 horas ininterruptas. Para se ter uma idéia capacidade de fornecimento; a caixa de água central comporta 200 mil litros de água tratada que somadas à outra de igual capacidade no bairro Turimar, disponibiliza uma média diária de 700 mil litros por dia.

Hoje o SAMAE conta com uma prestação ágil de serviços de coleta de medição de água através da empresa terceirizada SANDRINI E BOTEGA na coleta de medição de água.

O Diretor da SAMAE deixa ainda uma mensagem para cada cidadão que vive em Gaivotas:

“É preciso amar sua cidade não pensando em si próprio, mas sim no companheirismo, independentemente de facções políticas, fazendo sua parte bem feita. Ao funcionário público que recebe seu salário mensal - ele é - quer queira quer não - empregado do próprio contribuinte; portanto tem que dar o máximo de si pela sua cidade amando acima de tudo seu município”.