Database Error. System Administrator has been notified and this problem will be solved as soon as possible. We are sorry for the inconvenience. Paulo Câmara | Recife, Pernambuco, Brasil

Paulo Câmara

Endereço:

Recife, Pernambuco
Brasil

Descrição

Paulo Henrique Saraiva Câmara (Recife, 8 de agosto de 1972) é um economista e político brasileiro. É o atual governador do estado de Pernambuco.
Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Pernambuco, pós-graduado em Contabilidade e Controladoria Governamental e mestre em Gestão Pública, todos pela mesma instituição. Foi Secretário de Administração (2007-2010), Secretário de Turismo (2010) e Secretário da Fazenda de Pernambuco (2011-2014) durante a administração do então governador Eduardo Campos.
Paulo Câmara sempre foi servidor público. Aos 20 anos foi escriturário concursado do Banco do Brasil, em Ribeirão, na Zona da Mata. Em 1995, foi para o Tribunal de Contas do Estado, onde exerceu o cargo de auditor das contas públicas também teve a oportunidade de passar pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (2003), pela Câmara de Vereadores do Recife (2005) e, a partir de 2007, fez parte da gestão do governador Eduardo Campos.
Paulo Câmara é estreante na política, filiado ao PSB desde outubro de 2013. Indicado para concorrer à sucessão estadual, que tinha como integrantes da chapa o deputado federal Raul Henry do PMDB como vice e o ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho do PSB para concorrer ao Senado. Candidato a governador mais bem-votado do país obteve 68% dos votos em Pernambuco deixando para trás o candidato do PTB Armando Monteiro, que ficou com um pouco mais de 31% dos votos válidos.
Foi eleito governador de Pernambuco no primeiro turno, com mais de 3.000.000 votos. Carrega agora o peso de dar continuidade ao governo de seu padrinho político, Eduardo Campos, morto em acidente aéreo em 13 de agosto. Aliado à comoção que tomou o Estado na tragédia que matou Campos, o forte palanque composto de 21 partidos resultou na vitória de Marina Silva em Pernambuco. Terceira colocada na disputa ao Planalto, ela obteve 48% dos votos no Estado. Em 8 de outubro de 2014, o PSB anunciou seu apoio ao candidato Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da corrida à Presidência. Contudo o tucano obteve uma votação pouco maior que a de José Serra nas eleições de 2010; Dilma venceu com 70,20% dos votos válidos no estado, contra 29,80% do mineiro - uma diferença de quase dois milhões de votos. Câmara e seu partido decidiram adotar uma postura independente em relação ao governo federal, com vetos a qualquer possibilidade de integrantes da legenda ocuparem cargos durante o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.