Database Error. System Administrator has been notified and this problem will be solved as soon as possible. We are sorry for the inconvenience. Jorge Viana | Rio Branco, Acre, Brasil

Jorge Viana

Endereço:

Rio Branco, Acre
Brasil

Descrição

Jorge Viana é engenheiro florestal formado na Universidade de Brasília. Prestou assessoria ao movimento dos trabalhadores rurais e seringueiros e contribuiu com a criação e depois se tornou dirigente da Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), instituição de pesquisa para manejo e uso sustentável dos recursos florestais, criada na gestão do ex-governador Flaviano Melo (PMDB). Sua preocupação com a utilização de forma sábia e inteligente do potencial madeireiro do Acre o aproximou do ambientalista Chico Mendes, então presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri.
Em 1990, sem nenhuma experiência anterior de disputa eleitoral, Viana aceitou o convite do Partido dos Trabalhadores para ser candidato a governador do Acre e tornou-se o primeiro candidato do PT a disputar o segundo turno de uma eleição estadual no Brasil. Apesar da derrota eleitoral por treze mil votos de diferença, Jorge Viana contribuiu para a formação da Frente Popular do Acre, que menos de dez anos depois se tornaria a maior força política do estado.
Em 1992 foi eleito prefeito de Rio Branco, capital do Acre, cidade que concentra cerca de 50% da população do Estado.
Após sua gestão como prefeito, Jorge Viana dedicou cerca de um ano contribuindo com o Ministério da Reforma Agrária do Brasil, incentivando o que chamou de projeto piloto de reforma agrária em parceria com municípios, a exemplo do que aconteceu em Rio Branco na época em que era prefeito.
Em 1998, Jorge Viana disputou o governo do estado, numa campanha que mobilizou doze partidos e resultou em sua vitória no primeiro turno dia 3 de outubro. Em 2002, foi reeleito governador com 64% dos votos.
Ao longo de seus oito anos de governo, foi citado positivamente em inúmeras publicações nacionais e externas, com destaque para a Revista Time, que lhe conferiu reconhecimento particular como uma das lideranças promissoras da América Latina para o Terceiro Milênio.
Nas eleições de 2006, Jorge Viana não concorreu a nenhum cargo, mas conseguiu que seu sucessor, Binho Marques, fosse eleito para o período de 2007-2010.