Alvaci Manoel Leonardo

Endereço:
Rua Manoel Honorato,207
Ermo, Santa Catarina 88.935-000
Brasil
fone:
ver fone(48) 9637-4962

Descrição

Alvaci Manoel Leonardo é uma figura bem humorada de uma tradicional família da região e nos recebeu de braços abertos para nos contar a sua história e caminho político através do Turvo e do Ermo.

Iniciou sua vida profissional aos dez anos de idade ajudando seus pais na lavoura. Durante todo seu tempo se dedicou integralmente à agricultura de onde conseguiu sustentar sua família. Trabalhador, de sol a sol, enfrentava todas as intempéries da natureza para fazer brotar da terra a maravilha do alimento. Aposentou-se como agricultor aos 65 anos de idade.

Liderança ativa na comunidade, Alvaci sempre colaborou com todas as entidades estabelecidas na sua região. Durante três anos esteve diante da Escola Estadual Pedro Simon como membro da APP ocupando o cargo de presidente. Festeiro da Capela Nossa Senhora das Graças e da Capela de São Donato, simultaneamente. Trouxe benefícios para o Ginásio Esportivo e uma cancha de futebol através do Deputado Altair Guidi.

Alvaci é natural de Ermo – pra ser bem preciso e ele faz questão de frisar ele é do Morro do Soares - filho de Manoel Honorato Leonardo e Vergínia Maria de Jesus. A 20 de setembro de 1950 subiu ao altar para casar-se com a senhora Osvaldina da Silva Honorato tendo com ela quatro filhos: Amilton, José Nazareno, Maria Vergínia e Zilda. Foi somente nesta fase e por motivos óbvios que deixou a casa paterna. Durante 28 anos trabalhou com o plantio do fumo, tendo sido na oportunidade procurador da AFUBRA – Associação dos Fumicultores do Brasil. Recorda que o fez sem receber qualquer tipo de salário por mais de quinze anos.

Alvaci Honorato alega ser o precursor da família no que concerne à política. Depois de si próprio o irmão Orivaldo Honorato foi vereador pelo Turvo e Joacir José Neto foi também vereador pelo Turvo. Osvaldo Manoel Neto foi o primeiro Vice-Prefeito de Ermo em 1996.

A sua própria história tem início no ano de 1980, quando aceita o convite de lideranças locais para se filiar ao PDS. Ele confessa a nossa redação que já gostava de política. Em 1982 assume pela primeira vez o cargo de Vereador, representando a localidade do Ermo no município de Turvo alcançando esplendidamente a marca de 345 votos. Naquele período eleitoral Alvaci vive um momento bizarro em função de sua intenção em dar nome a um dos bairros da cidade. Sua indicação para a criação do Bairro São Cristóvão em Turvo encontrou resistência por parte de um colega que se opôs alegando que os santos haviam sido “cassados” por um ato institucional do governo federal e que isso não passaria. Alvaci levou adiante seu propósito adiante e solicitou ao Presidente que seu projeto fosse votado, a despeito do escárnio do colega. Ao final da votação comemorou jocosamente uma vitória de 6 votos a 3, rindo-se daqueles que votaram contra o santo.

Por oito anos consecutivos foi funcionário da prefeitura do Turvo como encarregado no setor de Obras. Por três anos trabalhou na Prefeitura de Ermo durante a primeira gestão do Prefeito Marcos Leone Oliveira entre 2005 e 2008.

Seu primeiro mandato junto ao legislativo de Turvo foi desempenhado com muito trabalho e dinamismo num mandato de seis anos, o maior da história eleitoral do país. Depois de deixar a cadeira de Vereador manteve-se afastado da política; vindo retornar a ela depois da emancipação do Ermo, precisamente no ano 2000, quando por solicitação de lideranças e apelo popular lança seu nome para concorrer àquelas eleições. Seu intento foi alcançado para um mandato de quatro anos de 2001 a 2004 representando o PPB, sigla partidária sucedânea do PDS e ancestral do PP.

Uma das mais importantes e inesquecíveis contribuições de Alvaci Manoel Leonardo foi a implantação de um importante programa agrícola no município de Ermo: o programa Pró-Várzea um campeão de tecnologia que revolucionou as técnicas de plantio do arroz aumentando a produção do setor. Na época Alvaci recebeu todas as instruções do senhor Edson Canela do município de Turvo, aprendendo toda técnica e usando-a pela primeira vez em suas próprias terras. Recorda ainda de suas indicações para a abertura de estradas e comemorou em especial a abertura do acesso a Garapuvu.

Entre suas colaborações espontâneas para auxiliar sua comunidade; registramos a doação de todo material de construção para erguimento da Igreja Assembléia de Deus. Também abnegadamente recorda-se de ter levado caminhões e caminhões de areia para a construção do Hospital São Sebastião do Turvo. Auxiliou pelo menos setenta pessoas ligadas à agricultura a conseguirem sua aposentadoria numa época difícil em que o INSS não dava respaldo a esse tipo de solicitação.